Documental Barra da Tijuca

Ensaio Documental Na Barra da Tijuca - Ensaio Documental Lenise Duarte

Hoje, dia 28 de abril de 2020 completam três anos desde que a minha mãe Lenise Duarte se foi. Três anos em que eu fui obrigada a me reinventar e a evoluir para continuar vivendo. E foram três anos bastante desafiadores eu devo confessar. A dor da ausência dela continua mas já não doí tanto. E aos poucos eu vou conseguindo me reestruturar e colocar o caos que estava a minha vida em ordem. 


De qualquer jeito, a minha mãe se chamava Lenise Duarte Mena Barreto e foi uma mulher forte, encantadora, carinhosa e muito independente e decidida. Dona de também uma personalidade forte e marcante, ganhou inúmeros prêmios e títulos com o seu trabalho como advogada e servidora pública do Superior Tribunal Militar. Desde 2008 ela lutava contra o Mal de Alzheimer doença que foi uma das responsáveis pelo seu falecimento em 2017 aos 83 anos de idade. 


Alias, foi por causa dela que eu resolvi fazer em casa durante os anos de 2013-2016 ensaios documentais. Eu lembro como se  fosse hoje que ela não era a modelo mais paciente do mundo. Com 5 minutos de ensaio ela já queria parar. Por isso os ensaios documentais eram perfeitos já que ela não precisava posar e era só pegar os momentos mais descontraídos ou significativos dela.

Ela era uma mulher muito vaidosa e mesmo doente, ela fazia questão de se arrumar, se pintar, pentear o cabelo. Na época que fiz esses registros, tinha começado a moda por livros de colorir para adultos e eu comprei alguns tanto para mim como para ela para gente poder fazer essa atividade juntas. Ela até que gostava de colorir mas não  tinha muita paciência por muito tempo, por mais que eu tentasse estimular a atividade.

Esses foram os últimos registros documentais que eu fiz dela antes dela falecer. As outras fotos que eu tenho dela foram selfies de celular que fizemos na época da páscoa, uma semana antes dela ser internada. De qualquer jeito, esses registros documentais tem um lugar especial guardado nas minhas memórias pois foi através deles que eu pude começar exercitando um dos tipos de fotografia que eu mais me identifico atualmente pois você pode capturar a verdadeira essência da pessoa fotografada sem direção ou poses, mostrando a pessoa como ela é de verdade. E isso é uma das belezas que a fotografia nos proporciona.

De qualquer jeito, confiram abaixo o slideshow com algumas das melhores fotos dos Ensaios Documentais que eu fiz com a mamãe durante essa época.